13 de nov de 2008

Esperança

Oxalá que esse clima de otimismo se mantenha e converta em propostas afirmativas para a população mundial. Que possamos encontrar um caminho que nos faça eliminar a cor da pele como fator predominante de qualidade e eficiência.

Barack está nos proporcionando isso. Mais que um provável grande estadista, ele é símbolo de esperança, não só entre nós negros mas também para a paz mundial e o surgimento de uma nova era. Não quero aqui que pensem que eu (se tivesse direito a voto na eleição americana) votaria em Obama. Estou mais perto de ser Republicano que Democrata. Mas o que foi visto no pleito norte-americano a partir do resultado das urnas, foi um povo americano vibrante e lideres mundiais otimistas com o futuro.

Nesse mês (Novembro/2008) mais uma vez estaremos lembrando da história de Zumbi. Uma luta diferente da que se vê hoje. Não lutamos pelo fim da escravidão, como esse grande guerreiro, mas sim pela verdadeira liberdade do povo negro.

Liberdade política, liberdade econômica e também de liberdade religiosa.

Não podemos aceitar que negro é obrigado a militar nos partidos ditos de esquerda. Temos que saber atuar em todos os cenários. Tirar esse estigma de que somos coitados, Barack nos mostrou que não é bem assim. Podemos ir em frente, procurar melhorar a condição de vida e melhorar o padrão político-social.

Cultuar os Orixás Afro-brasileiros é olhar o futuro, vivendo intensamente o presente, respeitando e aprendendo com o passado. Qualquer forma de coibir os ritos das religiões Afro-brasieleiras é preconceito e vai de encontro ao que diz a Declaração Universal dos Direitos Humanos (Todo o homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular). Nossa Carta Magna garante que o Brasil é um país laico, ou seja, que nós brasileiros possuímos a liberdade de cultuar a religião que quisermos até mesmo não cultuar nenhuma.

O que se busca nessa semana da consciência negra é o respeito aos nossos credos, a nossa cultura, a nossa maneira de ver a vida, a nossa condição humana e tudo que cerca nossa História.

Marcelo Batista - 4º vice-presidente

2 de jul de 2008

O lugar dos Jovens

Relegar a juventude à ausência quase completa de perspectivas é uma das coisas mais perversas que pode acontecer. A realidade vivida por boa parte das gerações nascidas nas últimas décadas, especialmente nas grandes cidades, é muito complicada. Boa parte delas não freqüenta a escola e não tem emprego. Em São Paulo, há poucos dias, foi realizado um estudo denominado de Índice de Vulnerabilidade Juvenil. O indicador criado pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) buscou saber qual a verdadeira situação dos jovens. Considerou números da freqüência escolar, morte por homicídio e gravidez precoce.
Felizmente, o dado que mais chamou a atenção é positivo: o aumento da freqüência ao ensino médio. Se em 2000 apenas 52% dos jovens haviam se matriculado, em 2005 o contingente passou para 68%, o que é um progresso apreciável. A taxa de mortalidade de jovens entre 15 e 19 anos, mesmo como o aumento geral da criminalidade, passou de 216 óbitos para 141, uma queda animadora. Esta taxa é sugestiva e serve para o nosso Estado também: com mais educação, temos menos violência. Difícil é imaginar que qualquer progresso social possa ser alcançado sem avanço considerável no ensino, em especial num País cuja educação, nos últimos anos, deixa muito a desejar. A realidade nos mostra que andamos no caminho certo ao propormos a Educação Integral em nosso Estado como meio para manter o jovem na escola, em aprendizado constante e, portanto, longe da criminalidade.
Nesse sentido o trabalho da Subcomissão de Educação de Educação Integral vai contribuir para melhorar do ensino estadual. Para isso, contamos com o Plano de Desenvolvimento da Educação, do Governo Federal, na expectativa de que ele aproxime a escola do aluno ao oferecer ao jovem a possibilidade da Educação Integral, assegurando lugar para a sua formação e conhecimento e afastando-o dos problemas sociais.
Mano Changes - Deputado estadual e relator da Subcomissão de Educação Integral da Assembléia Legislativa



11 de jun de 2008

Unânimes entre os jovens

A Juventude Progressista Gaúcha junto a sua executiva, aprovou por unanimidade de forma incondicional e irrestrita o apoio aos jovens Mano Changes ( Presidente de honra da JPG e Dep. Estadual) e Gustavo Paim (Sec. Geral do PP/POA) a condição de candidatos a vice-prefeitos de Porto Alegre. Ambos possuem história e tradição em movimentos sociais no estado e em Porto Alegre.
Foi reconhecido nesta reunião (10/06/2008) que Mano Changes e Gustavo Paim são os melhores nomes para representar a Juventude e o Partido Progressista nesta campanha a capital Portoalegrense, por serem excelentes lideranças políticas e técnicas.
O Presidente da JPG Marcel van Hattem, declarou sentir-se honrado por possuir em sua gestão dois jovens desta qualidade e projeção política para representarem o Partido Progressista no pleito municipal de 2008. Marcel desejou a ambos sucesso e destacou ainda que independente do nome escolhido, tem a certeza de que a vitória será do PP que junto com os Democratas irá trabalhar na construção de uma nova capital para os gaúchos.
A unica certeza que hoje temos é de que seja quem for o indicado pelo PP para ter seu nome como candidato a vice-prefeito de Porto Alegre, nós da Juventude Progressista, estaremos a postos para defender os ideais progressistas nesta campanha. Temos a convicção de que a indicação de um jovem para ocupar este espaço será muito bem aceita não somente por jovens, mas por todos aqueles que acreditam que é preciso dar espaço e oportunidades a novos nomes na política.
Sucesso a Mano Changes e Gustavo Paim!!!!

Fábio Machado - Presidente